quarta-feira, 9 de novembro de 2016

O setor de Catering faturou 550 milhões em 2015


Segundo o estudo Setores Portugal "Catering" publicado pela Informa D&B:


  • O volume de negócios do conjunto das empresas portuguesas de catering apresentou uma descida de 5,2% em 2015, para 550 milhões de euros, em consequência da forte pressão sobre os preços do serviço.
  • A oferta setorial apresenta uma forte concentração num número reduzido de operadores, detendo os cinco principais uma quota de mercado conjunta de 75%.
  • Estas são algumas das conclusões do estudo Setores Portugal "Catering" publicado recentemente pela Informa D&B, líder no fornecimento de informação comercial, financeira, setorial e de marketing em Portugal e Espanha.

A faturação do conjunto das empresas portuguesas de catering desceu 5,2% em 2015, situando-se nos 550 milhões de euros, face aos 580 milhões registados em 2014.

O segmento da restauração coletiva é o mais importante do setor, embora caiba assinalar a descida significativa de vendas em 2015. Assim, nesse ano, a faturação caiu 7,4% para 435 milhões de euros, tendo o seu peso no total do setor descido para 79%, dois pontos percentuais a menos do que no ano anterior.

A diminuição das receitas neste segmento deveu-se principalmente à forte pressão sobre os preços, nomeadamente  no âmbito dos organismos dependentes da Administração Pública.

Por seu lado, o catering para o setor do transporte gerou um volume de negócios de 65 milhões de euros. Esta atividade assinalou um crescimento, impulsionado pelo significativo aumento do tráfego de passageiros nos aeroportos portugueses. Em 2015 o valor deste mercado cresceu 3,2%, o que lhe permitiu aumentar a sua penetração no setor para 11,8%.

No segmento de catering para eventos ou de gama alta, muito dependente da evolução do consumo privado e das despesas das empresas, a faturação apresentou um aumento de 6,4% em 2015, para 50 milhões de euros, o que representou 9,1% do total do mercado.

Em 2014, havia 1066 empresas em atividade no setor de catering, as quais geraram cerca de 18 450 empregos.

A oferta setorial caracteriza-se pela existência de um elevado número de pequenas empresas e um reduzido grupo de grandes empresas, as quais foram responsáveis pela maior parte do emprego e volume de negócios gerados. Assim, aproximadamente 92% das empresas tinham menos de 10 trabalhadores em 2014, enquanto somente 24 empresas tinhas mais de 49 pessoas ao serviço.

A oferta setorial apresenta uma forte concentração num pequeno número de empresas. Em 2015, as cinco principais detinham uma quota de mercado conjunta de 75%, percentagem que se eleva para 84% quando consideradas as dez principais.

A débil recuperação da procura continuará a afetar as empresas de catering a curto prazo, em especial as que operam no segmento de restauração coletiva, no qual se manterá a situação atual de forte concorrência e pressão sobre os preços. O segmento de catering para o setor do transportes continuará a ganhar peso no setor, devido à continuação da tendência de aumento do tráfego de passageiros nos aeroportos portugueses, enquanto no catering para eventos ou de gama alta também se manterá a tendência de crescimento.

Dados Gerais

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

A empresa que avalia outras empresas


Caro Cliente,

Tomamos a liberdade de partilhar consigo um artigo que foi publicado no dia 30 de setembro no suplemento Weekend do Negócios que muito nos orgulhou.

Este artigo ilustra o percurso e a atividade da Informa D&B em Portugal desde a sua fundação há 110 anos.

Desejamos-lhe uma boa leitura aqui.

A Equipa da Informa D&B

terça-feira, 20 de setembro de 2016

LONGEVIDADE EMPRESARIAL EM PORTUGAL



A longevidade empresarial tem forte influência na sustentabilidade da economia. As empresas maduras, sendo o grupo etário representativo (22%), são as que mais contribuem para a atividade económica, gerando mais de metade do volume de negócios (55%) e representando quase metade do emprego (46%).

Aceda ao Sumário Executivo deste Estudo aqui.

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Volume de negócios das empresas de transporte rodoviário de passageiros subiu 1,7% em 2015



Evolução do Mercado


  • A retoma da procura turística, tanto nacional como internacional, permitiu um suave crescimento da faturação agregada das empresas de transportes rodoviário de passageiros em 2014, tendência que se manteve no ano 2015, num enquadramento macroeconómico mais favorável.
  • Assim, o valor do mercado aumentou 0,9% em 2014, após os decréscimos contabilizados nos dois exercícios precedentes, estimando-se para o exercício 2015 um acréscimo adicional de 1,7%, até alcançar 595 milhões de euros. A depreciação dos combustíveis favoreceu uma melhoria da rentabilidade do setor em 2015, tendência que se manterá previsivelmente em 2016.
  • Por outro lado, o número de passageiros transportados em serviços de transporte nacional situou-se em 2014 em 475 milhões, destacando-se Lisboa como a principal zona de origem e destino, em ambos os casos com participações sobre o total ligeiramente acima de 50%.

Estrutura da Oferta


  • Em 2014 operavam em Portugal 138 empresas com atividade de transportes rodoviário de passageiros nacional interurbano, as quais contavam com um parque de 6.816 veículos, valor semelhante ao do ano 2013 mas 10% abaixo do contabilizado em 2012.
  • Só uma quinzena de companhias geria um parque superior a 100 veículos, concentrando cerca de 60% do parque total, enquanto  cerca de 75 dispunham de menos de 20. Neste contexto, a frota média por empresa situou-se em 2014 em 49 veículos.
  • A zona Norte de Portugal é com grande diferença sobre as restantes a que contem o maior número de operadores, com pouco mais de 55% do global, à frente das zonas Centro (23%) e Lisboa (16%).

Dados Gerais, 2015



quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Moderada queda do volume de negócio no setor de alimentos compostos para animais em 2015



Evolução do Mercado


  • A faturação agregada das empresas fabricantes de alimentos compostos para animais experimentou em 2014 um decréscimo de 5,2%, num contexto de estagnação em volume e queda dos preços. Em 2015 estima-se uma moderação do ritmo descendente da faturação, até se situar em torno de 1.360 milhões de euros, menos 0,7% do que no ano anterior.
  • Em volume, a produção cifrou-se em 2014 em 3,145 milhões de toneladas, o que supôs um leve decréscimo de 0,2% em comparação ao ano 2013.
  • O segmento de rações para aves é o de maior volume, com uma produção de 1,39 milhões de toneladas em 2014, 44% do total. Seguem-se-lhe os alimentos compostos para suínos, com uma participação de 26%, e para gado bovino, com pouco mais de 20%.

Estrutura da Oferta

  • O setor de alimentos compostos para animais está integrado por aproximadamente 110 companhias, valor que se tem mantido sem variações significativas nos últimos exercícios.
  • O número de empregados, pela sua parte, experimentou em 2014 um moderado aumento, até aos 3.324 (+2,2%), alterando assim a tendência descendente observada em exercícios precedentes.
  • A zona Centro concentra mais de 45% do total de empresas de 45% do total de empresas de fabrico de alimentos compostos para animais, figurado de seguida o Alentejo, com pouco mais de 20% do total, e as zonas de Lisboa (15%) e Norte (9%).



terça-feira, 30 de agosto de 2016

Elevada atomização da oferta no setor de panificação e pastelaria


Evolução do Mercado


  • O mercado de panificação e pastelaria industriais registou um crescimento de 1,6% no ano 2015. Desta forma, o valor das vendas em Portugal situou-se em 625 milhões de euros, face a 615 milhões no exercício anterior. Importa assinalar a favorável evolução do segmento de massas congeladas, as quais estão a substituir produtos tradicionais dos segmentos de panificação e bolos, nomeadamente no canal de hotelaria e restauração.
  • Relativamente ao comércio externo, as exportações atingiram 191 milhões de euros em 2015, mais 2,7% do que no ano anterior, no qual contabilizaram 186 milhões. Espanha constitui o principal destino das vendas para o exterior, assumindo uma quota sobre o total de 42%.
  • O valor das importações, pela sua parte, situou-se em 301 milhões de euros, mais 2,4% do que em 2014. Espanha destaca-se também como o principal país de origem, com cerca do 65% das importações totais.

Estrutura da Oferta


  • No setor operavam no fim de 2014 perto de 4.560 empresas. Estas geravam um volume de emprego de cerca de 25.000 trabalhadores.
  • A maior parte destas empresas corresponde ao segmento de panificação, no qual operavam 4.270 companhias, incluindo estabelecimentos de elaboração artesanal.
  • O setor apresenta um alto grau de atomização, com predomínio das empresas de reduzido tamanho. Assim, mais de 80% dos  operadores têm um quadro de pessoal abaixo de 10 empregados, e só 6 contam com mais de 250 trabalhadores.
Dados Gerais, 2015


segunda-feira, 29 de agosto de 2016

O Empreendedorismo em Portugal 2007-2015




Entre 2007 e 2015, foram constituídas 309 550 empresas e outras organizações, (34 mil por ano, em média).

A quase totalidade (93%) das entidades criadas são sociedades comerciais, embora, em média, apenas 74% tenham iniciado atividade no ano de nascimento.

Aceda ao Sumário Executivo deste Estudo, aqui .