Agosto 2022 Variação referente ao mês homólogo
Nascimentos
02898
6,0%
Encerramentos
00533
-24,5%
Insolvências
00105
-28,1%

Empresas ainda estão muito longe de atingir a diversidade de género

Mulheres nos cargos mais altos das empresas são menos de um terço

No universo das empresas comerciais em Portugal, as mulheres representam 41,5% de um total de cerca de 2,8 milhões de empregos, valor que recuou 1 pp (ponto percentual) desde 2019. Os dados são do estudo que fizemos sobre ‘A Diversidade de Género nas Empresas em Portugal’ e mostram também que, nos cargos de topo e de liderança, a representação feminina é ainda bastante minoritária.

A igualdade de género é um dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, dando às empresas um papel especialmente relevante neste tema, quer no acesso ao trabalho, quer na presença em cargos de maior responsabilidade.

Em Portugal, não existem grandes diferenças de género na população ativa. Onde estas diferenças são muito notórias é nos cargos de gestão, direção e liderança. Apesar da evolução registada nos últimos anos e do facto das mulheres corresponderem a cerca de 60% de todos os licenciados, a sua representação nestes cargos está ainda muito longe da paridade.

Nos cargos de direção, cargos de gestão e cargos de liderança*, a situação da participação feminina praticamente não mostra evolução face a 2019, com a representação de mulheres nestes cargos a registar, respetivamente, 28,3% (+0,1pp), 29,7% (-0,2pp) e 26,8% (+0,2pp). Em 2021, das quase 40 mil empresas criadas em Portugal, 27% têm liderança feminina, valor 1 pp superior ao de 2019.

As presidências dos Conselhos de Administração das sociedades anónimas são ocupadas por mulheres em apenas 16,4% dos casos, que corresponde aos mesmos valores registados em 2019. Os cargos de Direção Geral são ocupados por mulheres em 13,1% dos casos, mais 1,7pp que em 2019.

Representação feminina nos CA’s das empresas cotadas é de apenas 22,6%

Nas empresas cotadas, a representação de mulheres nos conselhos de administração é de 22,6%, apesar da lei de 2017 que prevê a representação equilibrada entre mulheres e homens nos órgãos de administração e de fiscalização das entidades do setor público empresarial e das empresas cotadas em bolsa. Estes valores da representação feminina, ainda que não atinjam sequer um quarto da representação, traduzem uma evolução positiva, já que há 10 anos, em 2011, era de apenas 5,7%.

Segundo Teresa Cardoso de Menezes, diretora geral da Informa D&B, ‘a igualdade de género é um dos objetivos de desenvolvimento sustentável que as Nações Unidos atribuíram às empresas, exigindo-lhes um sério compromisso com a mudança; com o conhecimento que a Informa D&B tem do tecido empresarial, queremos contribuir para esta mudança, mostrando as realizações das empresas que caminham nesse sentido.’

Há menos mulheres na gestão das grandes empresas

A representatividade de mulheres em cargos de gestão é menor nas empresas de maior dimensão e cresce à medida que as empresas diminuem de dimensão. Nas grandes empresas, apenas 19% dos cargos de gestão são ocupados por mulheres, enquanto nas microempresas esse valor é de 31%.

Serviços gerais, Alojamento e restauração e Retalho são os 3 setores com maior percentagem de emprego feminino (os 3 com mais de 50%) e são também aqueles onde há mais mulheres a ocupar cargos de gestão. Ainda assim, nos Serviços gerais os cargos de gestão feminina não chegam aos 50% e nos outros 2 setores é de apenas um terço.

No extremo oposto, Construção, Tecnologias de informação e comunicação e Energias e ambiente são os setores onde a presença de homens em cargos de gestão é maior, com 82% em todos eles. Construção (89%), Transportes (80%) e Energia e ambiente (76%) são os setores onde é maior a representação masculina no emprego.

Nos cargos de direção executiva das empresas, apenas a direção de Qualidade/Técnica e a direção de Recursos Humanos têm as mulheres em maioria, respetivamente com 59% e 57%. No extremo oposto, há áreas diretivas com uma representação feminina muito inferior à masculina, como são os casos das direções Comercial, Operações/Produção, Geral e Sistemas de Informação, onde a presença de mulheres é sempre inferior a 20%.

A representação feminina em cargos de direção executiva evoluiu positivamente na maioria das áreas, sendo, no entanto, uma evolução lenta e que deixa a situação bastante distante da paridade.

Mulheres mais atentas à diversidade de género

Quando estão à frente das empresas, as mulheres revelam maior atenção à diversidade de género. Nas empresas com liderança feminina, apenas 23% das equipas de gestão são exclusivamente femininas e 77% são equipas mistas. Nas empresas lideradas por homens, mais de metade (52%) das equipas de gestão são compostas exclusivamente por homens.

*Definições:

Cargos de Liderança: Funções do primeiro gestor (Presidente do Conselho de Administração e Gerente).

Cargos de gestão: Órgãos sociais (órgãos de gestão, administração e gerência).

Cargos de direção: Cargos de direção executiva (diretores de 1ª linha).

Cargos de topo: Funções do primeiro gestor (Presidente do Conselho de Administração e Gerente) ou de diretor geral.