Variação referente ao mês homólogo Entrar
Nascimentos
Encerramentos
Insolvências

Setores da Construção e dos Transportes concentram 20% de todas as empresas que já nasceram em 2019

  • No total do tecido empresarial, entre 1 de janeiro e 31 de julho deste ano nasceram 31 054 empresas, mais 10,5% do que em 2018;
  • Atividades imobiliárias são o único setor a reduzir nascimentos face a 2018;
  • Encerramentos descem 8,7% e insolvências descem 8,9%;

Na totalidade do tecido empresarial, desde o início do ano até final de julho, foram constituídas 31 054 novas empresas, o que representa um crescimento de 10,5% face a igual período do ano passado. Recorde-se que em 2018 foi batido o recorde de nascimento de empresas em Portugal, de acordo com a análise do Barómetro Informa D&B.

Os setores da Construção e dos Transportes mantêm a grande dinâmica que apresentam há vários meses. Desde o início de 2019 estes dois setores, no seu conjunto, são responsáveis pelo nascimento de um quinto de todas as empresas em Portugal, o que representa três quartos do total do crescimento das novas empresas face a 2018.

No setor dos Transportes nasceram mais do dobro de empresas que nos primeiros 7 meses de 2018 (2 474 empresas, +112%) para o que contribuiu sobretudo o subsetor do ‘transporte ocasional de passageiros em veículos ligeiros’. Na Construção, e reforçando a tendência de 2018, o setor registou um aumento de 31,9% novas empresas face ao período homólogo, sendo este crescimento transversal a todos os subsetores.

Ao mesmo tempo que Construção e Transportes afirmam a sua dinâmica um dos setores com maiores crescimentos em novas empresas nos últimos anos – as Atividade imobiliárias – dá sinais contrários. As Atividades imobiliárias são, aliás, o único setor que regista menos nascimentos de empresas do que no mesmo período de 2018, com uma descida de 6,0%.

Os dois setores com maior número absoluto de empresas, Serviços empresariais e Serviços Gerais, registam crescimentos de 5,4% e 2,2%, respetivamente.

Encerramentos descem 8,7%

Até final de julho de 2019, registaram-se 8 732 encerramentos de empresas, uma descida de 8,7% face ao período homólogo de 2018. Para esta descida, que não é transversal a todos os setores, contribuíram sobretudo os setores da Construção, Grossista e Retalho, representando mais de dois terços do total da descida.

Indústria com 353 novas insolvências desde o início do ano

Até final de maio foram registadas menos 8,9% de novas insolvências que no mesmo período de 2018, mantendo-se a tendência de descida verificada nos últimos anos, embora a um ritmo menos intenso. Os setores da Indústria, Agricultura e outros recursos naturais e Transportes são os únicos a registar mais insolvências do que no mesmo período de 2018. A Indústria é o setor com mais empresas com novos processos de insolvência, passando de 300 em 2018 para 353 em 2019.

Dinâmica setorial Acumulado jan/ago 2019
Onde nascem mais empresas Serviços empresariais 4 937); Serviços gerais (4 735); Construção (3499); Alojamento e restauração (3 351); Retalho (3 332)
Onde encerram mais empresas Retalho (1 448)), Serviços empresariais (1 259) e Serviços gerais (1 058)
Onde mais cresce o número de constituições* Transportes (+1 308, +112,2%); Construção (+846 constituições, +31,9%); Serviços empresariais (+251 +5,4%), Retalho (+205, +6,6%), Agricultura e outros recursos naturais (+149, +18,2%)
Onde mais decresce o número de constituições* Atividades Imobiliárias (-172 constituições, -6,0%)

*variação absoluta período homólogo 2018

Nota sobre insolvências: entidades com processos de insolvência iniciados no período considerado, com publicação no portal Citius do Ministério da Justiça. O Barómetro INFORMA D&B considera os processos de insolvência de pessoas coletivas. Este Barómetro não analisa os processos de insolvência de empresários em nome individual, de profissionais liberais, ou de particulares.

Universo: o universo considerado engloba a informação relativa às empresas e outras organizações com sede em Portugal, sob as formas jurídicas de sociedades anónimas, sociedades por quotas, sociedades unipessoais, entidades púbicas, associações, cooperativas e outras sociedades (os empresários em nome individual não fazem parte deste universo de estudo).

Outros estudos Informa D&B: www.biblioteca.informadb.pt