quinta-feira, 11 de abril de 2019

Queda das exportações e da produção de calçado em 2018


Evolução do Mercado


  • A produção de calçado experimentou no período 2014-2017 uma tendência de alta, apoiada no dinamismo das vendas para o exterior. Após o crescimento de 3,5% contabilizado em 2017, em 2018 estima-se uma queda de 1,4%, alcançando 2.070 milhões de euros, devido principalmente ao abrandamento da procura externa.
  • Deste modo, as vendas do setor para fora de Portugal atingiram neste último exercício 1.904 milhões de euros, o que representou uma contração de perto de 3% relativo a 2017. As importações, por sua vez, aumentaram 4,9% em 2018, atingindo os 638 milhões de euros e reduzindo o superavit comercial a menos de 1.300 milhões, o nível mais baixo desde 2012.
  • França mantém-se como o mercado externo mais importante para os fabricantes portugueses de calçado, com uma participação sobre as exportações totais de cerca de 21%. Alemanha é o segundo destino, assumindo cerca de 20% do valor total, à frente de Holanda, Espanha e Reino Unido.

Estrutura da Oferta

  • Em 2017 operavam 1.526 empresas no setor de calçado, o que supôs um incremento de perto de 4% referente ao ano anterior. O volume de emprego gerado aumentou de forma semelhante, atingindo pouco mais de 40.000 pessoas, mantendo-se o número de empregados médio por empresa em 26.
  • Predominam os fabricantes de reduzida dimensão, sendo que cerca de 65% conta com um número de empregados inferior a 10 e menos de 10% emprega mais de 50 pessoas.
  • A atividade produtiva concentra-se na zona Norte de Portugal, onde se localizam quase 95% das empresas, destacando-se as regiões de Tâmega e Sousa e Área Metropolitana do Porto.
Dados Gerais, 2018