quarta-feira, 19 de dezembro de 2018

Vendas de perfumaria e cosmética no mercado ibérico deverão crescer acima de 5200 milhões em 2018


Evolução do Mercado


  • Em 2017 as vendas de perfumaria e cosmética no mercado ibérico mantiveram a tendência ascendente dos últimos anos, embora se tenha verificado um abrandamento moderado do ritmo de crescimento. Nesse ano, o volume de negócios ascendeu a 5112 milhões de euros, mais 2,2% do que em 2016. Em valor, o mercado em Espanha cresceu 2,2% para 4271 milhões de euros, enquanto em Portugal o aumento foi de 2,3%, situando-se nos 841 milhões.
  • A curto prazo as previsões apontam para que a tendência de crescimento da faturação do setor se mantenha, num contexto de subida moderada da procura interna, ainda que seja expectável um crescimento menor do que nos últimos anos. Estima-se que em 2018 o mercado ibérico cresça cerca de 2%, em valor, para 5215 milhões de euros.
  • A orientação crescente das empresas espanholas para o exterior manteve-se durante o ano 2017, tendo as exportações a partir de Espanha aumentado 11,5%, nesse ano, para 3508 milhões de euros. Em Portugal o crescimento situou-se acima de 10%, tendo as vendas ao exterior ascendido a 195 milhões de euros.
  • Os principais destinos das exportações espanholas em 2017 foram a Alemanha, Portugal, França, Estados Unidos e Reino Unido, com um peso conjunto no total próximo dos 37%. Quanto às exportações portuguesas, 33% tiveram como destino Espanha, destacando-se ainda Angola (17%) e o Reino Unido (11%).

Estrutura da Oferta

  • O segmento de produtos de cuidados da pele é o mais importante, representando 28,1% das vendas globais em Espanha e Portugal, em 2017, seguem-se os produtos de higiene (25,3%), os perfumes e as fragrâncias (18,8%), os produtos de cuidados para o cabelo (18,3%) e a cosmética decorativa (9,5%).
  • Em 2017 o setor ibérico era constituído por cerca de 400 empresas. A estrutura empresarial apresentava uma considerável concentração da oferta, detendo as cinco principais empresas, nesse ano, uma quota de mercado global que em Espanha rondava os 41%, enquanto em Portugal essa quota era de 37%.