segunda-feira, 24 de setembro de 2018

Faturação dos operadores logísticos continua a apresentar valores recordes


Evolução do mercado


  • O volume de negócios no setor português de operadores logísticos, incluídas as receitas decorrentes da armazenagem de mercadorias e das operações associadas realizadas sobre as mercadorias armazenadas (manipulação, transporte e distribuição), ascendeu a 535 milhões de euros em 2017, um acréscimo de 4,3% face ao registado no ano anterior, em que a variação tinha sido de 3%.
  • A introdução de novos serviços de maior valor acrescentado, o dinamismo do comércio eletrónico e a internacionalização crescente da atividade das empresas portuguesas constituem outros fatores que contribuíram para o crescimento do setor.
  • Apesar da recuperação da procura, as empresas enfrentam uma forte concorrência de preços para manterem as suas quotas de mercado, o que afeta a rendibilidade setorial. Em 2017, esta tendência acentuou-se, pelo que o aumento dos preços dos combustíveis reforçou a pressão sobre as margens dos operadores.
  • As projeções macroeconómicas para os anos 2018 e 2019 apresentam perspetivas favoráveis de evolução do negócio logístico em Portugal. No final de 2018 é esperado um crescimento do volume de negócios de 3,7%, para cerca de 555 milhões de euros.

Estrutura da oferta

  • Em Portugal existiam aproximadamente 80 operadores logísticos em atividade em 2017, os quais geriam 230 armazéns, dos quais 60% localizados em Lisboa e no Porto.
  • Nos últimos anos verificou-se a entrada de algumas empresas de pequena dimensão. Esta tendência foi, contudo, compensada por diversas operações de concentração e pelo encerramento de atividade de outras empresas.
  • A crescente externalização das atividade de armazenagem, manipulação e transporte de mercadorias por parte do tecido empresarial português nos últimos anos, juntamente com a retoma do consumo privado e o aumento da atividade industrial e comercial, favorecem o aumento do volume de negócios agregado dos operadores logísticos.
  • O setor caracteriza-se pelo elevado grau de concentração da oferta, tendo os cinco principais operadores gerado 39% do volume de negócios global em 2017, enquanto a quota dos dez principais se situou acima dos 55%.