terça-feira, 22 de maio de 2018

O volume de negócio agregado dos setores turísticos aumentou 13% em 2017


Evolução do Mercado


  • O mercado turístico português tem registado nos últimos anos uma tendência crescente, num contexto caraterizado pelo bom desempenho da procura tanto nacional como estrangeira. O ritmo de crescimento acelerou significativamente em 2017, ano no qual alcançou uma variação superior a 10%.
  • Assim, o volume de negócio agregado dos principais setores turísticos (estabelecimentos hoteleiros, agências grossistas e retalhistas de viagens, transporte aéreo, transportes rodoviário de passageiros e rent a car) situou-se, no exercício 2017, acima de 11.100 milhões de euros, o que supôs um aumento referente ao ano anterior de 12,9%, destacando-se pelo seu maior dinamismo os setores de estabelecimentos hoteleiros e transporte aéreo.
  • Os setores de transporte aéreo e estabelecimentos hoteleiros são os de maior importância, assumindo cerca de 39% e de 33% do mercado turístico total, respetivamente.
  • O número de hóspedes no estabelecimentos hoteleiros, por sua vez, superou 20,6 milhões em 2017, registando um crescimento face a 2016 de 8,9%, enquanto as dormidas se elevaram a cerca de 57,5 milhões, 7,4% mais. Nomeadamente, em 2017  destacou-se o notável aumento das dormidas da população estrangeira, situado em 11,5%.
  • No curto prazo prevê-se uma continuidade do crescimento da procura nacional e internacional, embora com taxas de variação mais moderadas do que em 2017. A concentração empresarial, a internacionalização dos operadores portugueses e o avanço na transformação digital são outras tendências de futuro relevantes.

Estrutura da oferta

  • A estrutura empresarial tende à concentração em todos os setores, resultado do crescimento dos operadores de maior tamanho, sustentado principalmente em aquisições e fusões de outras companhias, e no encerramento de pequenas empresas pouco rentáveis.
  • Destaca-se a escassez de grupos turísticos diversificados, que possuem atividade em vários setores do mercado turístico. Deste modo, a ampla maioria das empresas turísticas portuguesas centram a sua atividade num único setor.
  • Os mercados de transporte aéreo, rent a car e agências de viagens grossistas apresentam o grau de concentração maior. Nos dois primeiros, os cinco operadores líderes reuniram em 2016 quotas de mercado conjuntas de 78% e 56%, respetivamente, enquanto a participação global das cinco primeiras empresas no mercado de agências de viagens grossistas foi de 55%.
  • Por outro lado, a capacidade hoteleira em Portugal reforçou-se em 2017. Assim, considerando hotéis, estalagens, hotéis-apartamentos, móteis, pensões e pousadas, o número total de camas aumentou cerca de 5%, atingindo cerca de 381.000, enquanto o número de estabelecimentos, pela sua parte, aumentou quase 11%, até alcançar 4.805 nesse ano.
  • Do ponto de vista geográfico, observa-se uma notável concentração da atividade setorial nas zonas do Algarve, na qual se localizam cerca de 33% das camas, e Lisboa, com cerca de 20%. Seguem-se-lhes as zonas Norte e Centro, em ambos os casos com percentagens sobre o número total de camas de perto de 15%.

Dados Gerais, 2017