quinta-feira, 3 de maio de 2018

Faturação das empresas transitárias cresce 3%


Evolução do Mercado


  • A evolução positiva do comércio externo português, a deslocalização da produção e a tendência para a externalização das atividades logísticas no tecido empresarial favoreceram, nos últimos anos, o crescimento do volume de negócios do setor das empresas transitárias.
  • Neste contexto, o volume de negócios agregado das empresas transitárias em Portugal apresentou uma tendência de crescimento. Em 2017 atingiu os 1460 milhões de euros, assinalando um aumento de 2,8% face a 2016.
  • O comércio externo de mercadorias com origem e destino em Portugal estima-se que atinja os 103 milhões de toneladas em 2017, um aumento de 6,3% face ao ano anterior. As importações ascenderam a cerca de 63,5 milhões de toneladas (+6,8%), ao passo que as exportações se situaram nos 39,5% milhões (+5,4%).
  • A previsões apontam para que em 2017 os valores das exportações se situem nos 55 000 milhões de euros, um aumento de 10% face ao ano anterior, enquanto as importações rondarão os 69 000 milhões, valor 12,7% superior ao registado em 2016.
  • O principal meio de transporte no comércio internacional de mercadorias é o transporte marítimo. Em 2016, 54% do volume total das exportações de 61% do das importações foram expedidos por esta via. A União Europeia é o principal mercado de origem e destino das trocas comerciais com o exterior, tendo, em 2016, absorvido 75% das exportações portuguesas e fornecido 78% das suas importações.
  • A evolução positiva da economia portuguesa, a globalização da economia e o aumento do comércio mundial constituem as principais oportunidades para o crescimento da atividade das empresas transitárias, a curto prazo. Quanto à forte concorrência de preços e a consequente pressão sobre as margens representam as ameaças mais visíveis que os operadores enfrentam.
  • Neste contexto, são expectáveis novos aumentos da faturação agregada da empresas transitárias a curto e médio prazo, prevendo-se uma taxa de variação próxima dos 3,5% em 2018.


Estrutura da oferta

  • Em 2017 havia em Portugal 325 empresas licenciadas para a prestação de serviços transitários que geram um volume de emprego  próximo dos 6900 trabalhadores, o que representa uma média de 21 empregados por empresa.
  • Predominam as empresas de dimensão reduzida. Assim, cerca de 70% dos operadores faturou em 2016 menos de cinco milhões de euros e foi responsável por 18% da faturação setorial. Por outro lado, as cinco maiores empresas detinham uma quota de mercado conjunta de 20%, que se eleva para 34% quando consideradas as dez principais empresas.

Dados Gerais, 2017