quarta-feira, 23 de maio de 2018

As residências lucrativas para a terceira idade atingem 726 lares com 21.000 lugares


Evolução do Mercado


  • Num contexto de crescente incorporação da mulher no mercado de trabalho e progressivo envelhecimento da população, a melhoria da atividade económica nos últimos anos tem contribuído para o aumento da procura de serviços assistenciais para a terceira idade em Portugal.
  • Porém, o volume de negócio das residências lucrativas manteve a tendência de crescimento, até atingir 290 milhões de euros em 2017, o que supôs um acréscimo de cerca de 4% em relação a 2016, ano no qual se tinha registado uma variação ligeiramente superior.
  • O número de centros lucrativos tem sido incrementado consideravelmente, passando de 330 no fim de 2006 para 726 em março de 2018. A lotação de lugares neste tipo de centros, pela sua parte, aumentou de cerca de 8.000 para 21.000 nesse período. Apesar do forte crescimento do número de centros lucrativos e da sua capacidade, o seu grau de ocupação, considerando tanto residências lucrativas como não lucrativas, situava-se à volta de 93% em março de 2018.

Estrutura da Oferta

  • O número de residências para a terceira idade com atividade em Portugal propriedade de entidades lucrativas situava-se em março de 2018 em 726, operando junto de 1.720 entidades não lucrativas. Neste último grupo destaca-se a importância das residências pertencentes às Misericórdias, com 497 lares nessa data.
  • A capacidade total dos lares situou-se nessa data em 96.305 lugares, dando como resultado uma média de cerca de 40 lugares por centro, sendo maior nas residências de entidades não lucrativas (44) do que nas residências lucrativas (29).   
  • O distrito de Lisboa é o que conta com maior número de centros lucrativos, 231 em março de 2018, 32% do total, à frente do Porto (92), e Setúbal e Leiria, com 81 e 74 residências cada um deles. Em termos de capacidade, o distrito de Lisboa contava nessa data com 6.670 lugares em residências lucrativas, também 32% do total. Seguem-se Setúbal (2.279 lugares), Porto (2.065) e Leiria (1.922).
  • Só 11% das residências lucrativas conta com mais de 50 lugares, enquanto em cerca de 54% dos casos a capacidade está abaixo dos 25 lugares.

Dados Gerais