sexta-feira, 16 de março de 2018

Mantém-se a tendência de forte crescimento da faturação no setor de trabalho temporário


Evolução do Mercado


  • A faturação agregada das empresas portuguesas de trabalho temporário manteve um alto crescimento nos últimos anos, num enquadramento económico favorável que tem favorecido a criação de emprego em Portugal.
  • No exercício de 2017, o volume de negócio cresceu 6%, situando-se em 1.245 milhões de euros. Nos anos prévios contabilizaram-se também taxas de crescimento elevadas, o que provocou no período 2013-2017 um crescimento da faturação setorial de perto de 365 milhões de euros, situando-se a taxa de crescimento médio anual em 9%.

Estrutura da Oferta

  • O número de empresas autorizadas para prestar serviços de trabalho temporário mantém uma moderada tendência decrescente desde o exercício 2015, situando-se em dezembro de 2017 em 227 empresas, menos três do que no ano anterior.
  • Relativamente à sua distribuição geográfica, percebe-se uma notável concentração nas áreas de maior atividade económica, nomeadamente na região de Lisboa, onde se localizam 46% das empresas, e na zona Norte (34%).
  • Um número reduzido de grandes grupos multinacionais ocupa os postos de liderança no mercado, embora junto deles compitam alguns importantes operadores multisserviços nacionais, alguns dos quais estão presentes noutros ramos relacionados com a gestão de recursos humanos.
  • A oferta carateriza-se por um alto grau de concentração. A quota de mercado conjunta das cinco primeiras empresas atingiu em 2016 41% (55% se se considerarem as dez maiores).
Dados Gerais, 2017