segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

Faturação do setor de limpeza sobe 2% no mercado ibérico


Evolução do mercado


  • O volume de negócios gerado pelas empresas de prestação de serviços de limpeza no mercado ibérico atingiu em 2017 um valor estimado próximo dos 10 585 milhões de euros, o que traduz um crescimento de 1,9% face ao ano anterior.
  • Esta evolução representa a consolidação da ligeira recuperação do mercado iniciada em 2015, após vários anos de diminuição.
  • A oferta continua muito fragmentada, embora os operadores de maior dimensão, principalmente os grupos multisserviços, tendam a reforçar a sua posição no setor.

Estrutura da oferta

O mercado ibérico de serviços de limpezas registou uma ligeira recuperação nos últimos três anos. Após o aumento de 2% em 2016, prevê-se que o volume de negócios setorial feche 2017 com uma variação semelhante (+1,9%), num montante de 10 585 milhões de euros.
Espanha representa 94% da faturação conjunta das empresas do setor, aproximadamente 9970 milhões de euros no final de 2017, correspondendo a Portugal os 6% restantes (615 milhões de euros)
O mercado português (+3,4%) voltou a crescer a um ritmo superior ao do espanhol (+1,9%). A menor maturidade do setor em Portugal e a pior evolução registada durante a crise económica comparativamente com Espanha, explicam esta evolução.
O mercado ibérico de prestação de serviços de limpeza deverá manter uma variação média anual próxima dos 2%, durante o biénio 2018-2019.
Os principais clientes de serviços de limpeza são as grandes empresas de serviços e industriais, os organismos públicos e os estabelecimentos de ensino de saúde, onde é visível um nível de externalização maior.
No início de 2017 existiam mais de 34 400 empresas de prestação de serviços de limpeza registadas no mercado ibérico, das quais aproximadamente 30 900 localizadas em Espanha e as 3500 restantes em Portugal.
Os principais operadores têm vindo a aumentar a sua dimensão, graças às constantes operações de aquisição e fusão de outras empresas. Por outro lado, a tendência dos clientes para centralizarem várias atividades num único fornecedor continua a reforçar a posição no mercado dos grupos multisserviços.
Todavia, a oferta setorial continua a apresentar uma alta fragmentação. Os cinco maiores operadores no mercado ibérico asseguravam 16% do volume de negócios do setor em 2016, percentagem que sobe para 21% quando considerados os dez principais.