quarta-feira, 9 de novembro de 2016

O setor de Catering faturou 550 milhões em 2015


Segundo o estudo Setores Portugal "Catering" publicado pela Informa D&B:


  • O volume de negócios do conjunto das empresas portuguesas de catering apresentou uma descida de 5,2% em 2015, para 550 milhões de euros, em consequência da forte pressão sobre os preços do serviço.
  • A oferta setorial apresenta uma forte concentração num número reduzido de operadores, detendo os cinco principais uma quota de mercado conjunta de 75%.
  • Estas são algumas das conclusões do estudo Setores Portugal "Catering" publicado recentemente pela Informa D&B, líder no fornecimento de informação comercial, financeira, setorial e de marketing em Portugal e Espanha.

A faturação do conjunto das empresas portuguesas de catering desceu 5,2% em 2015, situando-se nos 550 milhões de euros, face aos 580 milhões registados em 2014.

O segmento da restauração coletiva é o mais importante do setor, embora caiba assinalar a descida significativa de vendas em 2015. Assim, nesse ano, a faturação caiu 7,4% para 435 milhões de euros, tendo o seu peso no total do setor descido para 79%, dois pontos percentuais a menos do que no ano anterior.

A diminuição das receitas neste segmento deveu-se principalmente à forte pressão sobre os preços, nomeadamente  no âmbito dos organismos dependentes da Administração Pública.

Por seu lado, o catering para o setor do transporte gerou um volume de negócios de 65 milhões de euros. Esta atividade assinalou um crescimento, impulsionado pelo significativo aumento do tráfego de passageiros nos aeroportos portugueses. Em 2015 o valor deste mercado cresceu 3,2%, o que lhe permitiu aumentar a sua penetração no setor para 11,8%.

No segmento de catering para eventos ou de gama alta, muito dependente da evolução do consumo privado e das despesas das empresas, a faturação apresentou um aumento de 6,4% em 2015, para 50 milhões de euros, o que representou 9,1% do total do mercado.

Em 2014, havia 1066 empresas em atividade no setor de catering, as quais geraram cerca de 18 450 empregos.

A oferta setorial caracteriza-se pela existência de um elevado número de pequenas empresas e um reduzido grupo de grandes empresas, as quais foram responsáveis pela maior parte do emprego e volume de negócios gerados. Assim, aproximadamente 92% das empresas tinham menos de 10 trabalhadores em 2014, enquanto somente 24 empresas tinhas mais de 49 pessoas ao serviço.

A oferta setorial apresenta uma forte concentração num pequeno número de empresas. Em 2015, as cinco principais detinham uma quota de mercado conjunta de 75%, percentagem que se eleva para 84% quando consideradas as dez principais.

A débil recuperação da procura continuará a afetar as empresas de catering a curto prazo, em especial as que operam no segmento de restauração coletiva, no qual se manterá a situação atual de forte concorrência e pressão sobre os preços. O segmento de catering para o setor do transportes continuará a ganhar peso no setor, devido à continuação da tendência de aumento do tráfego de passageiros nos aeroportos portugueses, enquanto no catering para eventos ou de gama alta também se manterá a tendência de crescimento.

Dados Gerais