quinta-feira, 30 de junho de 2016

Volume de negócio no setor de alimentos compostos para animais regista quebra em 2014


Segundo o estudo Setores Portugal "Alimentos compostos para animais", após a queda de 1% contabilizada em 2013, estima-se que em 2014 se tenha registado um decréscimo da faturação agregada das empresas fabricantes de alimentos compostos para animais de cerca de 5%, até aos 1.375 milhões de euros, num contexto de enfraquecimento dos preços de venda. Esta tendência deverá manter-se em 2015.

O volume de produção, por seu lado, tem experimentado nos últimos exercícios uma tendência de redução. Em 2013 situou-se em 3,15 milhões de toneladas, o que representa menos 3,1% do que em 2012 e um decréscimo de 13% face a 2007.

O peso das exportações na atividade setorial é pouco significativo, embora no triénio 2011-2013 as vendas no exterior tenham subido consideravelmente. Em 2013 superaram ligeiramente as 78.000 toneladas, mais 21,3% do que em 2012, o que representa pouco mais de 2% do volume de produção total.

Em 2013 o número de empresas fabricantes de alimentos compostos para animais aumentou para 115, quebrando a tendência de redução mantida desde 2009. Pela primeira vez nos últimos anos, o número de trabalhadores também experimentou uma variação positiva em 2013, até alcançar um valor ligeiramente acima dos 3.200, situando-se em 28 o número médio de trabalhadores por empresa.

Perto de metade das empresas têm menos de 10 colaboradores, o que reflete a reduzida dimensão média dos operadores. Apenas 17 empresas, cerca de 15% do total, emprega mais de 50 pessoas.

Observa-se uma notável concentração geográfica da produção: a zona Centro de Portugal alberga mais de 40% dos fabricantes. Seguem-se as zonas do Alentejo e de Lisboa, com participações sobre o número total de empresas de 22% e 17%, respetivamente.

Dados Gerais