segunda-feira, 30 de maio de 2016

Empresas de instalações e montagens são menos mas faturam mais


A faturação agregada das empresas de Instalações e Montagens registou em 2015 um crescimento de 1,3% para os 1950 milhões de euros, após cinco anos consecutivos de quedas, segundo o estudo sobre o setor realizado pela INFORMA D&B.

É a primeira vez nos últimos 5 anos que o setor regista crescimento no volume de negócios, após quedas sucessivas, depois de ter ultrapassado os 3 mil milhões em 2009. Este setor reúne empresas de instalação de máquinas e equipamentos industriais, construção de redes de transportes de águas, de esgotos, de distribuição de energia, de telecomunicações e outras redes, instalação elétrica de canalizações, de climatização e outras instalações.

Parte muito significativa deste valor é fruto da internacionalização o setor, com os serviços prestados no exterior a evoluírem sobretudo  nas empresas de maior dimensão. Em 2014, as exportações das 49 maiores empresas aumentaram 8,2%, alcançando 452 milhões de euros, o que representou já perto de 30% das suas receitas.

O recuo da faturação registado nos últimos anos tem provocado uma redução significativa do tecido empresarial neste setor. O número de empresas passou de cerca  de 23 400 em 2008 para pouco mais de 17 600 em 2013, o que significou uma diminuição de aproximadamente de 25%.

A média do quadro de pessoal por empresa situa-se em quatro empregados, o que reflete a atomização da estrutura empresarial. Cerca de 95% dos operadores contam com menos de 10 trabalhadores, enquanto só 0,1% tem um quadro de pessoal superior a 250 efetivos. A zona Norte de Portugal é a região que regista um maior número de operadores, com pouco mais de 35% do total, figurando atrás dela as zonas Centro e Lisboa, cada uma com cerca de 25% do total.