quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Vendas da distribuição alimentar deverá crescer em 2015


A faturação agregada dos hipermercados, supermercados e estabelecimentos de cash & carry, no conjunto do mercado ibérico, situou-se nos 98 290 milhões de euros em 2014, menos 0,3% do que no exercício anterior, num contexto de volatilidade dos preços e forte concorrência entre os operadores do setor.

As vendas em Portugal totalizaram 14 390 milhões (-0,1% que ano anterior), enquanto em Espanha desceram 0,4% para os 83 900 milhões de euros.


Hipermercados descem mais que supermercados

A faturação dos supermercados foi de 75 550 milhões de euros (-0,2%), valor que representa cerca de 77% do total do mercado ibérico. Os hipermercados, pelo seu lado, mantiveram a tendência descendente, com o volume de negócios a contrair 1,2% para 17 580 milhões de euros.

No que respeita aos estabelecimentos de cash & carry, observa-se um ligeiro aumento da faturação em 2014, devido à recuperação moderada da atividade no setor da restauração.

As condições do mercado melhoraram em 2015, prevendo-se que no final do ano o volume de negócios setorial recupere para valores ligeiramente acima de 99 800 milhões de euros.

Nos próximos anos aumentará o desenvolvimento de novos canais de comunicação na Internet, a penetração do comércio eletrónico e a ampliação da gama de produtos e serviços oferecidos. A melhoria da oferta de produtos frescos constitui outras das principais linhas estratégicas dos operadores no curto e médio prazo.

É também expetável um aumento do investimento das grandes cadeias para a ampliação das redes de pontos de venda, especialmente no que se refere a formatos de proximidade, bem como um maior protagonismo dos estabelecimentos franchisados.

Neste contexto, a curto e médio prazo manter-se-á o processo de concentração empresarial, tanto em Espanha como em Portugal, reforçado por novas operações de aquisição de empresas e estabelecimentos pelos grupos de maior dimensão.

Dados Gerais, 2014