quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Operadores logísticos faturaram mais de 5% em 2014


A crescente externalização das atividades de armazenamento, munipulação e transporte de mercadorias por parte das empresas portuguesas favoreceu o crescimento do volume de negócios dos operadores logísticos nos últimos anos, apesar do contexto económico negativo.

A  faturação setorial, considerando as atividades de armazenamento de mercadorias e as operações associadas realizadas sobre as mercadorias armazenadas (manipulação, transporte e distribuição), situou-se em 495 milhões de euros em 2014, mais 5,3% do que o valor registado no ano anterior.

O armazenamento e as operações no armazém viram a sua importância reforçada nesse exercício, sendo responsáveis por 50,5% do volume de negócios total, o que representou um valor de 250 milhões de euros. Os 49,5% restantes (245 milhões de euros) corresponderam a operações de transporte das mercadorias armazenadas.

Os produtos de alimentação e bebidas representam a maior parte do negócios dos operadores logísticos, com cerca de 52% da faturação setorial no exercício de 2014. O setor de farmácia, drogaria e perfumaria tem também um forte peso no setor, gerando aproximadamente 20% da faturação.

Para o biénio 2015-2016 estima-se um crescimento anual do valor do mercado de cerca de 5%, para os 520 milhões de euros em 2015.


Estrutura da oferta

O número de operadores logísticos com atividade significativa em Portugal rondou os 80 em 2014. Estas empresas geraram no referido exercício um volume de emprego próximo dos 9100 trabalhadores, com uma média de 114 trabalhadores por empresa.

O número de armazéns geridos pelos operadores logísticos em Portugal ronda os 230, sendo Lisboa e Porto as zonas onde se localiza a maior parte. Contudo, as empresas de maior dimensão contam com uma extensa rede de delegações e armazéns repartidos por toda a geografia portuguesa.

A oferta setorial apresenta um alto grau de concentração, reunindo os cinco principais operadores uma quota de mercados conjunta próxima dos 40% percentagem que ronda os 60%, quando considerados os dez principais.

Dados Gerais, 2014