terça-feira, 30 de junho de 2015

Setor de mobiliário de lar exporta cerca de 70% da sua produção

As vendas de mobiliário de lar em Portugal registaram em 2014 uma retoma de perto de 3%, até aos 350 milhões de euros, ultrapassando a tendência de descida do período 2010-2013, o que originou uma queda média anual acima de 10%.

Percebe-se uma crescente internacionalização da atividade dos febricantes portugueses: as exportações representaram em 2014 67% do valor da produção nacional, face a 56% de 2011 e 44% de 2008.

As vendas no exterior situaram-se em 2014 perto dos 500 milhões de euros, o que contrasta com o valor de 352 milhões de 2011 e de 209 milhões no ano 2006. As importações, por seu lado, aumentaram 8%, até aos 107 milhões de euros, valor significativamente inferior aos 204 milhões contabilizados em 2007.

O bom comportamento das exportações permitiu que no período 2012-2014 as vendas de produção nacional contabilizassem taxas de variação positivas. No último ano situaram-se em 740 milhões de euros, mais 3,2% do que em 2013.

O tecido empresarial no setor de mobiliário de lar tem reduzido significativamente nos últimos anos. O número de fabricantes passou de cerca de 5.300 em 2009 para 4.250 em 2013. O volume de emprego, por seu lado, situou-se neste último ano perto de 22.400 trabalhadores, valor notavelmente inferior ao de 28.790 empregados de 2009.

O número médio de colaboradores por empresa situa-se  próximo das cinco pessoas. Perto de 50 operadores têm mais de 50 trabalhadores e quase 90% do total emprega menos de 10.

Do ponto de vista geográfico, a atividade produtiva apresenta uma notável concentração na zona Norte, onde se localizam mais de 65% dos operadores, à frente das zonas Centro, com 17%, e Lisboa, com 12%.

Dados Gerais, 2014