segunda-feira, 6 de abril de 2015

Faturação no setor de trabalho temporário cresce 4,5% em 2014

A faturação agregada das empresas portuguesas de trabalho temporário registou em 2014, num contexto de recuperação do emprego, um aumento de 4,5%, após vários anos de fortes quebras. Assim, o volume de negócios situou-se perto dos 910 milhões de euros.

Os exercícios anteriores, no entanto, estiveram marcados pela forte crise económica, que se traduziu em contrações da faturação de 15% em 2012 e de 2% em 2013.

As previsões para o biénio 2015-2016 apontam para uma prolongação da tendência de crescimento da faturação setorial. Para 2015 estima-se um aumento das receitas de perto de 7%.

O numero de empresas de trabalho temporário com atividade em Portugal manteve entre os anos de 2005 e 2012 uma tendência de descida, reduzindo 25% neste período. Entre 2012 e 2014, no entanto, registou-se uma ligeira recuperação, com um crescimento anual do número de operadores de 1%. No exercício de 2014 existiam 205 empresas de trabalho temporário autorizadas, mais 4 do que no final de 2012.

Lisboa concentra a maior parte das empresas de trabalho temporário, localizando-se nesta zona cerca da metade do total nacional em 2013 (98 sociedades). Seguem-se a zona Norte, com 77 empresas, e a zona Centro, com 15.

Um número reduzido de grandes grupos multinacionais ocupa os lugares de liderança no mercado português. Com eles, concorrem alguns importantes operadores relacionados com a gestão de recursos humanos.

Dados Gerais