segunda-feira, 30 de março de 2015

Mercado industrial mantém tendência de descida em 2014

O mercado editorial português tem mantido nos últimos anos uma trajetória descendente, resultante da proliferação de conteúdos eletrónicos e da retração do consumo privado. Neste contexto, o valor das vendas em Portugal registou em 2014 uma queda de 3,2%, situando-se nos 300 milhões de euros.

Desde o máximo registado em 2008 (370 milhões de euros), o mercado acumula uma quebra de perto de 20%. As exportações, por seu lado, desceram perto de 8% em 2014, situando-se nos 45 milhões de euros. Os principais mercados de destino dos livros portugueses são Angola e Moçambique, com participações sobre o valor total das exportações de 37% e 15% respetivamente.

Em Portugal operam perto de 435 empresas dedicadas à publicação de livros de fascículos. Nos últimos exercícios, o número de operadores tem mantido uma tendência de redução (-1,6% em 2013), como consequência da crise económica. As companhias do setor empregam cerca de 2.400 trabalhadores, situando-se o número médio de empregados perto das 5 pessoas por empresa.

Lisboa concentra a maior parte das editoriais, localizando-se nesta zona cerca de 62% do total nacional em 2012 (272 sociedades). Seguem-se a zona Norte, com 97 empresas, e a zona Centro, com 41.

A estrutura empresarial carateriza-se pela presença de um reduzido grupo de grandes operadores que concentram a maior parte da atividade e editam os títulos com grandes tiragens, existindo por outro lado um amplo grupo de empresas com uma produção reduzida, especializadas em muitos casos no conteúdo e temática das suas publicações.


Dados Gerais, 2014