quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Valor de mercado do retalho de produtos óticos desceu 1,3% em 2013

O valor deste mercado situou-se nos 390 milhões de euros em 2013, uma queda de 1,3% face a 2012, exercício em que tinha registado uma redução de 3,2%. As vendas a retalho de produtos óticos em Portugal mantiveram, assim, em 2013 a tendência descendente dos exercícios anteriores, tendo registado uma queda acumulada no período 2008-2013 de 11%, num contexto de elevado desemprego e deterioração da despesa das famílias.

Esta tendência foi marcada tanto pela ampliação dos prazos de reposição dos produtos como pela forte pressão sobre os preços, derivada das contínuas campanhas de promoções e ofertas lançadas pelas principais cadeias.

A conjuntura desfavorável conduziu a uma maior concentração das vendas nas principais cadeias, que ganharam quota de mercado aos estabelecimentos independentes, graças à sua maior solidez financeira e capacidade de ajustar os preços dos seus produtos.

A faturação das 24 cadeias principais atingiu em 2013 os 371 milhões de euros, representando cerca de 95% do total do setor.

As previsões apontam para um crescimento moderado da despesa das famílias no biénio 2014-2015. Neste contexto, prevê-se que o valor do mercado retalhista de ótica se situe ligeiramente acima dos 390 milhões de euros em 2014, representando uma taxa de crescimento de 0,5%, face a 2013.

Em maio de 2014 operavam no mercado português cerca de 1530 estabelecimentos óticos, dos quais cerca de metade nos distritos de Lisboa, com 315, Porto, com 225 e Setúbal, com 150.

O número de óticas independentes tem vindo a reduzir progressivamente a favor das grandes cadeias e grupos de compra, que ampliaram as suas redes de estabelecimentos, principalmente através da integração de óticas operacionais.

As suas principais empresas do setor representavam em 2013 uma quota de mercado conjunta de 36%, percentagem que se eleva para 65%, se considerado o grupo das cinco principais.

Dados Gerais, 2013