terça-feira, 5 de agosto de 2014

Aumento dos preços compensa a contração do consumo no sector de distribuição de água


O volume de água facturado em baixa mantém, desde 2011, uma tendência descendente. Em 2013 situou-se em 595 milhões de metros cúbicos, o que representa uma descida de 0,8% face a 2012 e um decréscimo de 11% face ao máximo contabilizado em 2010.

Apesar da queda do consumo, o aumento dos preços tem motivado uma subida do volume de negócio neste período. Assim, as receitas derivadas do serviço de abastecimento de água em baixa, considerando exclusivamente empresas municipais e intermunicipais, concessionárias municipais e concessionárias multimunicipais, situou-se em 2013 nos 405 milhões de euros, 0,5% superior ao verificado em 2012, ano em que se registou uma variação positiva ligeiramente acima de 2%.

Em 2011 operavam em Portugal 266 entidades gestoras do serviço de abastecimento de água em baixa, das quais 190 eram serviços municipais.

Os serviços municipais são assim o modelo de gestão com maior representatividade em Portugal, prestando serviço a 190 concelhos (66% do total do país).

As cinco primeiras empresas do sector por volume de água abastecida em baixa reuniram em 2012 uma quota de mercado conjunta de 19,8%, percentagem que se elevou até 28,3% quando consideradas as dez primeiras.