segunda-feira, 23 de junho de 2014

Facturação de fabricantes de alimentos compostos para animais subiu 4% em 2013


A facturação agregada das empresas fabricantes de alimentos compostos para animais registou um crescimento perto de 4% em 2013, situando-se em 1.520 milhões de euros. Este valor representa uma moderação do ritmo de crescimento face aos dois exercícios anteriores, num contexto de menor pressão sobre os preços e as margens dos custos das matérias-primas.

O volume de produção, por seu lado, mostra uma tendência de descida. Entre 2007 e 2012 verificou um decréscimo médio anual de cerca de 2% até se situar, neste último ano, em 3,2 milhões de toneladas.

Os alimentos compostos para aves apresentaram o maior volume de produção em 2012, com 1,4 milhões de toneladas, o que equivale a 43% do total, cerca de três pontos percentuais superior ao de 2009. Seguem-se os alimentos compostos para suínos, com uma quota de 27% em 2012 e as rações para gado bovino, com 22%.

Nos últimos anos o número de empresas e trabalhadores no sector de alimentos compostos para animais manteve uma tendência de redução, o que tem originado uma crescente concentração empresarial. Em 2012, operavam 112 fabricantes, menos 13 do que em 2009, que geravam um volume de emprego de 3.178 pessoas, face a 3.523 trabalhadores em 2009 e 3.626 em 2007.

Cerca de 50% das empresas emprega menos de 10 pessoas, sendo o número médio de trabalhadores por empresa para o conjunto do sector inferior a 30 empregados. Apenas 16 fabricantes, menos de 15% do total, empregam mais de 50 pessoas.

Por outro lado, observa-se uma notável concentração das empresas na zona Centro de Portugal, onde se localizam cerca de 40% do total, à frente das zonas de Alentejo e Lisboa.