sexta-feira, 23 de maio de 2014

Facturação total agregada das 40 principais empresas foi de €2.575 milhões em 2012


A facturação total agregada das 40 principais empresas de distribuição de produtos farmacêuticos situou-se, em 2012, nos 2.575 milhões de euros, o que representa uma descida de 8,7% face a 2011. Estima-se, para 2013, um retrocesso adicional de perto de 6%, até aos 2.430 milhões de euros.

O valor do mercado de medicamentos diminuiu cerca de 4% em 2013, após as quedas de 11,7% e 9,1% contabilizadas em 2012 e 2011, respectivamente. Atendendo ao número de embalagens comercializadas, observa-se um crescimento moderado no biénio 2012-2013, o que se reflecte na descida dos preços.

Nos últimos anos tem-se registado uma contração do volume de negócios sectorial, como consequência da redução dos preços dos medicamentos, motivada pelas medidas aplicadas pelo Governo destinadas a reduzir a despesa pública na saúde.

No sector da distribuição grossista de produtos farmacêuticos predominam os operadores de dimensão reduzida: apenas nove empregam mais de 50 trabalhadores e somente três têm mais de 250 empregados.

Observa-se uma tendência descendente do emprego sectorial. Assim, o emprego agregado das 40 principais empresas foi, em 2012, de 2.141 trabalhadores, o que representa um retrocesso de 6,1% face a 2011, ano em que se verificou uma queda de perto de 1%.

O distrito de Lisboa é o que concentra um maior número de operadores. Tomando como base o grupo das 40 companhias de maior tamanho, pouco mais de 40% têm a sua sede neste distrito, seguindo-se o Porto, com 15%, e Açores, com 10%.