sexta-feira, 4 de abril de 2014

Empresas de trabalho temporário facturaram 800 milhões de euros em 2013


A facturação das empresas de trabalho temporário a operar no país foi de 800 milhões de euros em 2013. Este valor representa uma descida de 9% face a 2012. Estima-se uma progressiva recuperação da actividade nos exercícios de 2014 e, principalmente, 2015. Para este ano é esperado um aumento da facturação de 1,3%.

Em 2012 já se tinha assistido a uma queda de 15% na facturação das empresas de trabalho temporário a operar e Portugal. No período 2011-2013 a facturação do sector desceu cerca de 235 milhões de euros.

O número de empresas autorizadas a prestar serviços de trabalho temporário tem seguido, desde o ano de 2009, uma evolução descendente, tendo reduzido 25% no período 2005-2012. Em 2012 existiam 201 empresas autorizadas, menos 19 do que em 2010.

Um número reduzido de grandes grupos multinacionais ocupa os postos de liderança no mercado, embora junto deles compitam alguns importantes operadores multisserviços nacionais, alguns dos quais estão presentes noutros ramos relacionados com a gestão de recursos humanos.

A quota de facturação conjunta das cinco primeiras empresas do sector atingiu 39% em 2012, percentagem que subiu até 51% quando consideradas as dez maiores.

Em 2012 o sector de trabalho temporário tinha um total de 69.550 empregados e o número médio de colaboradores por empresa era de 346.