quinta-feira, 6 de março de 2014

Mercado editorial português facturou €310 milhões em 2013


O mercado editorial nacional facturou cerca de 310 milhões de euros, o que representa um decréscimo de 4,6% em relação ao exercício anterior. Esta descida, que se tem verificado ao longo dos últimos anos, teve a sua origem na quebra da despesa das famílias derivada da crise económica e da proliferação de conteúdos disponíveis na internet.

Após vários anos de notável crescimento, as exportações mantiveram-se estagnadas em 2013, situando-se nos 55 milhões de euros. Os principais mercados de destino dos livros portugueses são Angola e Moçambique, com participações sobre o valor total das exportações de 47% e 16%, respectivamente.

Em relação à actividade produtiva, contabilizou-se uma taxa de variação negativa de 4,7%, situando-se o valor da produção em 324 milhões de euros.

O sector da indústria editorial em Portugal engloba cerca de 460 empresas e emprega cerca de 2600 trabalhadores. Nos últimos anos o número de editoras e de trabalhadores tem mantido uma tendência de redução.

Apesar da reduzida dimensão média das empresas do sector, nos últimos anos tem-se desenvolvido um processo de concentração impulsionado pelas operações de aquisição e fusão entre empresas levadas a cabo por alguns dos grupos de maior dimensão.

Em 2012, os cinco operadores de maior dimensão reuniram uma quota de mercado conjunta de 64%, percentagem que se elevou até 77%, considerando a participação conjunta dos dez primeiros.