segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

O mercado de elevadores perdeu 5% em 2013


A quebra da actividade no sector da construção em Portugal registada nos últimos anos provocou uma forte descida do número de elevadores instalados anualmente.

O valor do mercado de instalação, manutenção e reparação de aparelhos elevadores diminuiu 6,8% em 2012, situando-se nos 275 milhões de euros. O parque de elevadores em funcionamento, estava constituído no final deste exercício por 132 000 unidades, representando os distritos de Lisboa e Porto 58% do total nacional.

No final de 2013 estima-se uma descida do volume de negócios no conjunto do sector de 5,5%, até aos 260 milhões de euros. Em 2014 espera-se uma estagnação, prevendo-se o início de uma nova fase de ligeira subida no exercício de 2015.

O mercado de instalação de equipamento continuará a ser afectado a curto prazo pela redução do número de fogos terminados e pelo comportamento negativo da produção no sector da construção não residencial. Os dados do encerramento de 2013 indicam uma descida de 9%, enquanto em 2014 está previsto um retrocesso de cerca de 3%.

Quanto às previsões para o segmento de manutenção e reparação, apontam para um crescimento deste mercado a partir de 2014, após a quebra de cerca de 4% em 2013.

O número de empresas autorizadas a prestar serviços de manutenção de elevadores em Portugal continental em 2012 era de 86. A maior parte destas empresas tem a sua sede nos distritos de Lisboa e Porto, representando estes 63% do total.

O sector está composto por um reduzido grupo de grandes empresas dedicadas ao fabrico ou importação de aparelhos, bem como à prestação de serviços de instalação e manutenção, que competem com numerosas empresas de menor dimensão, dedicadas principalmente a actividades de manutenção e reparação.

Constata-se uma tendência para a concentração da oferta, devido à aquisição de empresas de manutenção e de carteiras de equipamentos por parte dos principais operadores, e ao desaparecimento de empresas de pequena e média dimensão.

As cinco principais empresas representavam em 2012 77% do mercado, percentagem que aumenta para 88% se forem consideradas as dez maiores empresas.