terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Mercado Ibérico de Perfumaria e Cosmética cai mais de 15% desde 2007


O valor do mercado ibérico de perfumaria e cosmética, afectado pela contracção do consumo privado e a forte concorrência de preços, registou perdas de 2,8% em 2011 e 5% em 2012, situando-se no último ano nos 4881 milhões de euros.

Em 2012 a quota de Espanha no mercado ibérico era de 86,2% e a de Portugal de 13,8%, correspondendo a Portugal o pior comportamento, com uma quebra de 7,5% no valor das vendas, enquanto em Espanha a descida foi de 4,6%.

Destaca-se o impulso das vendas ao exterior nos últimos anos. Em 2012 o valor das exportações cresceu 3,2% em Espanha e 3,8% em Portugal, tendo atingindo os 2376 e 164 milhões de euros, respectivamente.

Estima-se que o conjunto do mercado ibérico encerre 2103 com um valor de 4720 milhões de euros, menos 3,3% do que em 2012 e menos 17,3% face ao máximo de 5710 milhões registado em 2007. A descida será  menos acentuada em Espanha, onde se prevêem vendas de 4080 milhões de euros, menos 3% do que em 2012. Em Portugal o mercado situar-se-á nos 640 milhões, com uma quebra interanual de 5,2%.

As previsões para o exercício de 2014 apontam para uma recuperação muito moderada do mercado espanhol, com uma taxa de variação positiva próxima de 1%. O mercado português abrandará o seu ritmo descendente, estimando-se uma quebra inferior a 1%.

No mercado ibérico de perfumaria e cosmética operavam em 2012 um total de 306 empresas fabricantes e importadoras, das quais 241 se encontravam em Espanha e 65 em Portugal. Estas empresas geraram nesse ano um volume de emprego próximo dos 36 700 trabalhadores.

Cerca de 70% dos operadores com actividade em Espanha estão situados nas comunidades de Catalunha e Madrid, enquanto em Portugal cerca de metade das empresas se econtram em Lisboa e outros 25% na zona Norte.

Observa-se um crescente grau de concentração da oferta, tanto em Espanha como em Portugal. No mercado espanhol, as cinco principais empresas representaram em 2012 uma quota de mercado conjunta de 38,1%, dos quais 42,3% correspodem a Portugal. Considerando o conjunto do mercado ibérico, os cinco principais grupos detinham 37,6% do valor total do mercado, aumentando para 51,9% a quota dos dez principais.