segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Cinco cadeias concentram 80% das vendas de artigos de bricolage


O volume de negócios agregado dos estabelecimentos especializados na venda a retalho de artigos de bricolage situou-se, no conjunto do mercado ibérico, nos 2 800 milhões de euros em 2012, menos 3,8% do que em 2011. A facturação em Espanha caiu 2,6%, até aos 2 290 milhões de euros, enquanto em Portugal a quebra foi de 8,9%, situando-se nos 510 milhões.

As receitas médias por estabelecimento em Espanha foram de 4,5 milhões de euros, enquanto em Portugal desceram até aos 3,3 milhões, valores que reflectem a maior superfície média dos pontos de venda com actividade no mercado espanhol.

Destaca-se a orientação da procura para artigos de menor preço, o que está a provocar um contínuo lançamento de promoções de descontos por parte das empresas do sector.

As previsões a curto prazo apontam para a manutenção da tendência descendente das vendas, num contexto de evolução negativa do consumo das famílias e persistência da crise no sector da construção. Assim, manter-se-á a pressõa sobre os preços, o que permite antever uma deterioração da rendibilidade.

Em 2013 estima-se um volume de negócios no conjunto do mercado ibérico de 2 645 milhões de euros, valor que representa menos 5,5% face a 2012. A descida será mais acentuada no mercado português,prevendo-se receitas de 465 milhões de euros, menos 8,8% do que no ano anterior, enquanto em Espanha se prevê uma variação negativa de cerca de 5%, até aos 2 180 milhões.

O número de estabelecimentos especializados na venda a retalho de artigos de bricolage com actividade no mercado ibérico era, em Setembro de 2013, de 685, dos quais 535 localizados em Espanha e os 150 restantes em Portugal.

A Comunidade de Valência, Catalunha, Andaluzia e Madrid, em Espanha, e as zonas Norte, Centro e Lisboa, em Portugal representam conjuntamente cerca de 65% do total de pontos de venda.

O sector caracteriza-se pelo forte grau de concentração da oferta, representando as cinco principais cadeias do mercado ibérico cerca de 80% das vendas totais.

O abrandamento da procura, juntamente com a concorrência crescente proveniente de hipermercados e outro tipo de estabelecimentos, continuará a impulsionar o lançamento de promoções e descontos por parte dos operadores. O aumento do número de pontos de venda de média dimensão situados nos centros urbanos é outra tendência relevante do sector.