terça-feira, 18 de junho de 2013

Estudo Sectores sobre Leite e Manteiga ( Mercado Ibérico)


Segundo a DBK, filial da Informa D&B (Grupo CESCE), o valor do mercado ibérico de leite líquido embalado e manteiga situou-se nos 3115 milhões de euros em 2012, representando uma descida de 1,1% face aos 3150 milhões de euros registados em 2011, mantendo assim a tendência descendente iniciada em 2009.

A quebra mais acentuada verificou-se em Portugal, onde as vendas diminuíram 3%, até se situarem nos 485 milhões de euros, face aos 500 milhões registados em 2011. Em Espanha, a descida foi de 0,8%, estando o mercado avaliado em 2630 milhões de euros.

As vendas de leite representam, em Espanha, cerca de 95% do total, enquanto em Portugal a sua penetração desce para 90%, tendo o segmeno da manteiga uma maior participação nas vendas totais.

Quanto ao comércio externo, as exportações espanholas situaram-se nos 110 milhões de euros em 2012, representando uma quebra de mais de 20% face a 2011. Em Portugal, por seu lado, atingiram os 139 milhões de euros, mais de 26% do que em 2011.

Existem 110 empresas dedicadas à produção ou importação de leite líquido embalado e manteiga no mercado ibérico, 95 das quais localizadas em Espanha e as 15 restantes em Portugal. Em 2012, o volume de emprego gerado ascendeu a 13250 postos de trabalho, situado-se, em média, nos 120 empregados por empresa.

A estrutura da oferta apresenta um elevado grau de concentração em ambos os países. Em Espanha, as cinco principais empresas alcançaram uma quota de mercado agregada de 66% em 2012, enquanto em Portugal a participação dos cinco maiores operadores rondou os 90%.

A maturidade do mercado, a deblidade do consumo e a crescente orientação da procura para produtos de preço mais baixo, num contexto de deterioração do orçamento disponível das famílias, constituem as principais ameaças que o sector enfrenta.

Neste quadro, e a curto prazo, prevê-se a continuação da forte concorrência entre os operadores e um aumento da penetração das marcas de distribuição, o que afectará negativamente o valor das vendas.

As empresas continuarão a apoiar-se no lançamento de novos produtos mais saudáveis e de maior valor acrescentado, de modo a manterem as suas quotas de mercado e a diferenciarem a sua oferta em relação aos seus concorrentes.