quinta-feira, 16 de maio de 2013

O valor do mercado de bebidas não alcoólicas caiu 10% em 2012

 
Evolução do mercado
 
- A deterioração do consumo das famílias e o forte agravamento das taxas de IVA aplicadas ao sector de bebidas não alcoólicas desde Janeiro de 2012, vai provocar uma retracção das vendas. Assim, o valor do mercado atingiu 825 milhões de euros, o que resulta numa queda de 10,3% face a 2011.
 
- O consumo em volume situou-se em 1.995 milhões de litros, face aos 2.254 milhões do ano anterior (-11,5%). Em todos os segmentos registaram-se retrocessos significativos, correspondendo a maior contracção às bebidas refrigerantes, cujo consumo diminuiu 13,3%.
 
- A água engarrafada é o principal segmento de actividade, com um consumo de 1.104 milhões de litros em 2012, 55% do volume total. Depois situaram-se as bebidas refrigerantes, com 786 milhões de litros, e os sumos de fruta, com 105 milhões.
 
Estrutura da oferta
 
- No sector das bebidas não alcoólicas operam cerca de 60 empresas, das quais perto de 40 se dedicam ao engarrafamento de água. Estas últimas geram um volume de emprego de 2.000 trabalhadores, o que oferece como resultado uma média de pouco mais de 54 empregados por empresa.
 
- A actividade de engarrafamento de água concentra-se maioritariamente na zona Norte de Portugal, na qual estão sediadas cerca de 40% das empresas. As zonas Centro e Lisboa são os principais centros de produção de outras bebidas não alcoólicas, concentrando conjuntamente perto de 70% dos fabricantes de refrigerantes e sumos.