quarta-feira, 29 de maio de 2013

O aumento das exportações compensa a queda do mercado de mobiliário de lar


Evolução do mercado

- No contexto de redução do rendimento familiar disponível e deterioração do mercado imobiliário, as vendas de mobiliário de lar em Portugal mantiveram em 2012 a sua tendência descendente, registando 365 milhões de euros, 14% menos que no ano anterior.

- Não obstante, a produção nacional viu-se favorecida pelo dinamismo das exportações, registando um crescimento perto de 7%. As vendas no exterior atingiram este ano 426 milhões de euros, 19% mais do que em 2011 e cerca de 75% mais face aos 245 milhões contabilizados no ano 2007.

- França mantem-se como o principal destino das exportações, reunindo uma quota sobre o total de 39% em 2012, à frente de Espanha, com 21%, embora este último mercado tenha perdido peso nos últimos anos. Fora da União Europeia importa assinalar Angola, país a que se destina pouco mais de 12% do total das vendas ao exterior.


Estrutura da oferta

- O número de fabricantes de mobiliário de lar em Portugal mantém uma tendência descendente, como consequência da desfavorável evolução do mercado. No ano 2010 operavam 4.900 empresas, face às 5.800 de 2007 e às 6.400 de 2004, as quais geravam um volume de emprego de 27.900 trabalhadores.

- Predominam as empresas de pequena dimensão, sendo que cerca de 85% do total contam com número de empregados inferior a 10 trabalhadores e pouco mais de 1% tem mais de 50.

- Observa-se uma grande concentração da produção na zona Norte de Portugal, onde se localizam cerca de 65% das empresas, à frente das zonas Centro, com perto de 20%, e Lisboa, com pouco mais de 10%.