quinta-feira, 23 de maio de 2013

Estudo Sectorial DBK sobre Distribuição de Produtos Farmacêuticos

Evolução do mercado
 
- As medidas aplicadas pelo Governo para minorar a despesa pública em saúde, provocaram uma forte diminuição do volume de negócio no sector de distribuição de produtos farmacêuticos no biénio 2011-2012.
 
- Assim, as receitas agregadas das 34 principais empresas do sector experimentaram em 2011 um decréscimo de 11,3%, até aos 2.783 milhões de euros, estimando-se para 2012 2.400 milhões de euros (-13,8%).
 
- O valor do mercado de medicamentos contraiu-se 11,7% em 2012, situando-se em 2.600 milhões de euros, enquanto em termos de número de embalagens comercializadas registou-se uma variação positiva, o que reflecte a descida dos preços. Para o exercício de 2013 prevê-se um decrescimento adicional do valor do mercado.
 
 
Estrutura da oferta
 
- O número de colaboradores no sector da distribuição grossista de produtos farmacêuticos tem reduzido nos últimos anos. Em 2011, as 34 principais empresas do sector geravam um volume de 2.228 empregados, 4,4% menos do que em 2010.
 
- O número médio de empregados deste grupo de empresas situou-se em 2011 nos 66 trabalhadores. Apenas nove operadores davam emprego a mais de 50 pessoas e em unicamente três casos o seu pessoal superava os 250 empregados.
 
- O distrito de Lisboa é o que concentra um maior número de empresas, onde cerca de 40% das empresas com maior dimensão estão sediadas neste distrito. Segue-se o Porto, com 18%, e os Açores, com 12%.