terça-feira, 19 de março de 2013

O volume de negócio dos estabelecimentos hoteleiros situou-se em 1 860 milhões de euros em 2012

 
Evolução do mercado

- O volume de negócio agregado de hotéis, estalagens, hotéis-apartamentos, motéis, pensões, pousadas, aldeamentos turísticos e apartamentos turísticos situou-se em 2012 em 1.860 milhões de euros, o que indica uma queda de 2,4% face a 2011, ano no qual se registou uma taxa de variação positiva de 5,4%.

- Em todas as zonas geográficas do país contabilizaram-se quebras das receitas, excepto no Algarve, zona que verificou uma variação positiva de 3,5%, baseada no bom comportamento da procura estrangeira.

- Assim, face à quebra de 7,2% do número de dormidas realizadas por residentes em Portugal em 2012, os residentes no estrangeiro aumentaram as suas dormidas 5%, atingindo uma participação sobre o total de 69%. O número total de dormidas incrementou 0,8%, até alcançar 39,8 milhões.

Estrutura da oferta

- A capacidade hoteleira em Portugal tem revelado uma tendência de alta nos últimos anos. Assim, se se considerar conjuntamente hotéis, estalagens, hotéis-apartamentos, motéis, pensões e pousadas, o número de camas passou de 187.300 em 2002 para 240.800 em 2011, tendo-se registado neste último ano um incremento de 4% na comparação com 2010. Relativamente ao número de estabelecimentos, em 2011 situou-se em 1.795, face a 1.645 de 2002.

- 67% do número total de camas correspondem a hotéis, sendo este o segmento que mais tem aumentado a sua capacidade nos últimos anos, com uma variação em 2011 de 7,8%.

- A zona do Algarve é a que concentra uma maior capacidade hoteleira, com pouco mais de 62.000 camas em 2011, o que representa 26% do total. Segue-se-lhe a zona de Lisboa, com 53.300 camas e uma participação sobre o número total de 22%.