quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Distribuição Alimentar: A facturação em Portugal desceu 3% em 2012

 
Evolução da actividade

Segundo a DBK, filial da Informa D&B (Grupo CESCE), a redução do redimento familiar, associado ao aumento do desemprego e à pressão fiscal, penalizou as vendas das empresas do sector de distribuição alimentar nos últimos anos, tanto em Espanha como em Portugal.
 
No encerramento de 2012, estima-se um volume de negócios no conjunto do mercado ibérico de 99 550 milhões de euros, menos 0,7% do que em 2011. A contracção do mercado será maior em  Portugal, onde se prevê uma variação negativa próxima dos 3%, enquanto em Espanha se espera uma descida moderada (0,3%).
 
Os supermercados e as lojas de self-service continuarão a ganhar quota de mercado a curto e médio prazo. Em 2012 prevê-se um aumento de receitas de aproximadamente 1%, em comparação com a quebra de 4-5% no segmento dos hipermercados.
 
Por outro lado, os operadores do sector reviram os seus planos de crescimento no mercado ibérico, nomeadamente no que se refere à abertura de novos hipermercados. Constata-se, ainda, um considerável desenvolvimento de redes de estabelecimentos de pequena dimensão e localizados nos centros urbanos, com uma oferta de produtos alimentares em que predominam os produtos frescos.
 
O aumento da oferta de produtos de marca própria e o lançamento de marcas específicas para determinadas famílias de produtos por parte das grandes cadeias, bem como a crescente concentração empresarial são outras tendências que se destacam no sector.
 
 
Estrutura da oferta
 
Em 2011, operavam no sector ibérico de distribuição alimentar um pouco mais de 34 500 estabelecimentos, incluindo hipermercado, supermercados, self-service e cash&carry.
 
Nos últimos anos observa-se uma redução do ritmo de crescimento da rede de hipermercados. Em 2011, o aumento doi somente de três estabelecimentos, alcançando os 589, dos quais 483 situavam-se em Espanha e os 106 restantes em Portugal.
 
A Andaluzia concentra cerca de 14% do total de hipermercados com actividade em Espanha e Portugal, destacando-se também a Catalunha, com aproximadamente 11%, e Madrid, com 10%. Em Portugal, a região Norte é a que tem maior número, com cerca de 30 estabelecimentos, valor que representa 5% do total do mercado ibérico.
 
Em 2011, registou-se um aumento moderado do número de supermercados e lojas de self-service em Espanha (+0,7%), chegando aos 29 600 estabelecimentos, enquanto em Portugal o número se reduziu ligeiramente.
 
Observa-se uma grande concentração empresarial no sector, com os cinco principais operadores do mercado ibérico a reunirem 40% do total do mercado em 2011, valor que ultrapassa os 55% se forem tidos em conta os dez principais. A concentração é consideravelmente alta no mercado português, no qual as cinco principais empresas geraram mais de 70% das vendas, em 2011.