quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Mercado ibérico de ar condicionado mantém quebra em 2012

 
Evolução do mercado
- As vendas de equipamentos de ar condicionado em Espanha e Portugal, que no período 2005-2007 rondavam os 1800 milhões de euros anuais, desceram em 2011 até aos 1110 milhões de euros, o que representou menos 8,6% do que em  2010.
- O arrastar da tendência descendente da actividade no sector da construção civil, juntamente com o aumento das despesas das famílias e a escassez de financiamento ao consumo, foram as causas determinantes desta tendência.
- As vendas em Espanha desceram até aos 960 milhões de euros (-8,6%), situando-se o mercado português nos 150 milhões (-9,1%).
- O segmento doméstico concentra uma participação maioritária das vendas no conjunto do mercado ibérico, absorvendo aproximadamente 45% do total em 2011. O segmento comercial representou 36% e os restantes 19% corresponderam a equipamentos industriais.
- A fraqueza da procura em 2011 motivou uma considerável quebra das importações, tanto em Espanha como em Portugal. Em Espanha, a redução representou 12,6%, situando-se nos 515 milhões de euros, enquanto em Portugal, as importações abrandaram significativamente (-18%), até aos 112 milhões de euros.
- A curto prazo, a actividade sectorial estará marcada pela conjuntura económica negativa que impedirá a retoma da procura. De igual modo, a pressão sobre os preços e a crescente penetração das importações asiáticas também irão afectar negativamente o valor do mercado. Neste contexto, estima-se um valor para o conjunto do mercado ibérico de aproximadamente 1000 milhões de euros em 2012, o que representa quase 10% menos do que em 2011.
 
Estrutura da oferta
- Em 2011 operavam no mercado ibérico de ar condicionado umas 95 empresas que geravam de forma agregada um volume de emprego de aproximadamente 3450 trabalhadores.
- O número de operadores tem vindo a apresentar nos últimos anos uma tendência descendente, resultante do encerramento de pequenas empresas e do processo de concentração ocorrido no sector a nível internacional.
- Os cinco principais operadores do mercado ibérico reuniram em 2011 uma quota sobre as vendas totais superior a 55%, percentagem que se situou próxima dos 75% se se considerarem as dez principais.
- Cabe assinalar o importante posicionamento de grupos multinacionais com uma sólida imagem de marca, que na maior parte dos casos operam tanto em Espanha como em Portugal.