segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Gestão privada de hospitais traz resultados

 
Evolução do mercado:
- O volume de negócios das unidades hospitalares privadas com fins lucrativos em Portugal registou nos últimos exercícios uma tendência positiva, impulsionada pela crescente penetração dos seguros de saúde na população portuguesa, pelo aumento da receita resultante dos acordos para o  atendimento de pacientes provenientes do Serviço Nacional de Saúde e pela concessão da gestão de hospitais públicos a empresas privadas.
- Assim, no período 1999-2011 a facturação sectorialregistou uma taxa de variação média anual de 12%, passando de 253 para 985 milhões de euros. Em 2011, o crescimento da receita foi de 10,1% depois de em 2010 ter aumentado cerca de 21%. As previsões para 2012 apontam para uma subida de 10% do volume de negócis, alcançando um valor próximo dos 1085 milhões de euros.
- No mercadodos seguros de saúde, por seu lado, a facturação de prémios atingiu em 2011 os 540 milhões de euros, mais 1,5% do que em 2010, ano em que a taxa de variação se situou nos 6,4%.
- Neste mercado, o crescimento do volume de negócio foi suportado pelo aumento do número de segurados e pelo lançamento de apólices com maiores coberturas. No entanto, em 2011 verificou-se uma grande pressão sobre os preços, o que motivou uma redução da receita média por segurado.
- O fortalecimento da concorrência e a redução da margem de manobra em matéria de preços, em consequência de um maior poder de negociação entre as seguradoras e a Administração Pública, tenderão a impulsionar as estratégias de diferenciação e diversificação no mercado dos hospitais privados.
 
Estrutura da oferta:
- Em 2010, a rede hospitalar portuguesa era constituída por 226 hospitais, com uma disponibilidade de 35 600 camas. Destes, 125 eram públicos, pertencendo os 101 restantes a entidades privadas e a instituições de beneficiência e de solidariedade social.
- A estrutura da oferta no mercado dos hospitais privados apresenta uma grande concentração num número reduzido de empresas. Assim, em 2011, as duas principais reuniram em conjunto uma quota de mercado de 57%, participação que se situou em cerca de 85% se considerarmo o grupo das cinco principais.
- Por outro lado, o mercado dos seguros de saúde caracteriza-se pelo número reduzido de operadores existentes e pelo elevado grau de concentração nos grandes grupos. Em 2011, operavam em Portugal 20 companhias, sete das quais registaram uma facturação de prémios superior a 25 milhões de euros. A quota de mercado conjunta das cinco maiores situou-se nos 70%.