sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Os operadores logísticos facturaram 480 milhões de euros em 2011 (mais 4,3% do que em 2010)

A Informa D&B divulga hoje o Estudo Sectorial DBK sobre operadores logísticos: a crise económica que afecta Portugal provocou o abrandamento do ritmo de crescimento das receitas dos operadores logísticos mas a cada vez maior externalização dos serviços logísticos por parte das empresas permitiu manter taxas de variação positivas. O volume de negócios sectorial alcançou os 480 milhões de euros em 2011, representando um aumento de 4,3% relativamente ao valor do ano anterior.

Evolução do mercado:
  • A crescente externalização das actividades de armazenagem, manipulação e transporte de
    mercadorias por parte das empresas portuguesas favoreceu o crescimento do volume de negócios dos operadores logísticos nos últimos anos, apesar da recessão económica.
  • A introdução de novos serviços de maior valor acrescentado, assim como a crescente
    internacionalização da actividade das empresas portuguesas são outros factores que
    impulsionaram o negócio.
  • No quadro descrito, o volume de negócios agregado dos operadores logísticos em Portugal alcançou, no exercício de 2011, os 480 milhões de euros, o que representou um aumento de 4,3% relativamente ao valor registado no ano anterior. No entanto, este crescimento é inferior ao assinalado no ano de 2010, no qual se verificou um aumento de 6%.
  • A armazenagem e as operações de armazém tendem a ter cada vez maior peso no volume de
    negócios sectorial, tendo sido responsáveis por 51% do total em 2011, o que equivale a cerca de 245 milhões de euros. Os restantes 49% corresponderam a operações de transporte associadas às mercadorias armazenadas.
  • A deterioração da actividade produtiva na indústria portuguesa, a quebra do consumo privado e o agravamento da conjuntura económica representam uma ameaça para as empresas do sector, o que permite prever um abrandamento da procura a curto prazo.
  • Depois do aumento de 4,3% registado em 2011, estima-se uma taxa de variação da facturação de cerca de 1% para 2012. As actividades de carácter internacional contribuirão para manter o crescimento da receita, num contexto de crescente importância das exportações e do comércio internacional para a indústria portuguesa.
Estrutura da oferta
  • O sector caracteriza-se por um elevado grau de concentração da oferta, com aproximadamente 85 empresas a operar de forma significativa. O volume de emprego gerado pelas empresas do sector em 2011 situou-se aproximadamente nos 11 100 trabalhadores, sendo o número médio de colaboradores por empresas de 131.
  • Calcula-se que as empresas com actividade em Portugal tenham uma capacidade de armazenagem que ronda um milhão e meio de metros quadrados, metade dos quais se encontram concentrados em cinco empresas.
  • Os principais grupos multinacionais do sector de transporte e logística estão presentes no mercado português através de empresas filiais, com destaque para os de origem espanhola, francesa, britânica, alemã, holandesa e norte-americana.
  • O elevado grau de concentração está patente na análise das quotas de mercado conjuntas dos
    principais operadores. Assim, os 5 principais reuniram uma participação de cerca de 37% em
    2011
    , valor que superou os 53% se considerarmos os 10 maiores.
Fonte: Estudo Sectores Portugal DBK: “Operadores Logísticos”