segunda-feira, 23 de julho de 2012

Residências para a Terceira Idade


Evolução do mercado

- Os últimos anos têm registado um aumento significativo da procura de serviços de assistência para a terceira idade em Portugal, num contexto de crescente incorporação da mulher no mercado de trabalho e aumento da população com mais de 80 anos.

- O volume de negócio das residências privadas tem mantido uma tendência ascendente, atingindo o montante de 130 milhões de euros em 2011, o que representou um crescimento de 6,6% em relação a 2010 e uma variação média anual perto de 10% desde o ano 2006.


Estrutura da oferta

- Em Março de 2012 operavam em Portugal perto de 1.950 residências para a terceira idade, das quais 537 eram propriedade de entidades lucrativas, correspondendo o resto a entidades não lucrativas. Neste último grupo há a destacar a importância dos lares das Misericórdias, num total de 439.


- A capacidade total nesta altura chegou aos 74.800 lugares, o que se traduz numa capacidade média de 38 lugares por centro. As residências não lucrativas contam com 61.000 vagas, 81% do total, enquanto a capacidade das residências lucrativas se fica pelas 13.800 vagas.

- Se considerarmos exclusivamente as residências lucrativas, o distrito de Lisboa é o que regista um maior número (29% do total), com 154 centros em Março de 2012. Seguem-se os distritos de Leiria, com 71 lares, Porto, com 69, Setúbal, com 65, e Coimbra e Santarém, com 30 cada um deles.

- O sector caracteriza-se pela notável atomização da oferta: as cinco primeiras empresas reúnem uma quota de mercado de 18%, enquanto a quota das dez primeiras se situa abaixo dos 25%.


Dados Gerais


Fonte: Estudo Sectores Portugal basic DBK: "Residências para a Terceira Idade"