segunda-feira, 25 de junho de 2012

O pronto-a-comer ganha quota no sector português dos restaurantes



Evolução do mercado

- O mercado português de restaurantes situou-se nos 4,5 mil milhões de euros em 2011, o que supõe uma descida de 6,3% face a 2010, ano em que a quebra se situou nos 2%. As empresas do sector têm enfrentado, nos últimos anos, uma situação  económica adversa, que se traduziu numa diminuição da capacidade de compra dos particulares e uma quebra dos gastos na restauração.

 - O segmento do pronto-a-comer tem sido o menos afectado pela crise, contabilizando um crescimento de cerca de 1% em 2011, muito favorecido pela competitividade dos preços. O mercado do pronto-a-comer alcançou em 2011 os 755 milhões de euros, 17% do total do mercado.

- Por outro lado, o segmento dos self-service e restauração com serviço de mesa, contabilizaram descidas de 5,6% e 7,6%, respectivamente, originadas na sua maior parte, pela maturidade do negócio.

- Para combater a fraca procura, o preço ganhou especial relevo como factor de competitividade: as cadeias foram obrigadas a ajustar os seus preços e a lançar agressivas campanhas de promoções e descontos, baixando ainda mais as suas margens.

- As previsões a curto prazo apontam para uma prolongada tendência decrescente do mercado, estimando-se para 2012 um retrocesso de cerca de 7%, chegando aos 4,17 mil milhões de euros.


Estrutura da oferta

- O sector é caracterizado por um alto grau de atomização da oferta, ao ser composto maioritariamente por operadores independentes, de tamanho reduzido e em que a propriedade do capital coincide habitualmente com a gestão da empresa.

- Em 2009 operavam em Portugal 28.387 empresas gestoras de estabelecimentos de restauração, menos 4% que no exercício anterior. Esta evolução negativa foi ainda mais acentuada no biénio 2010-2011. Lisboa concentra o maior número de empresas, com cerca de 31% do total, seguindo a região Norte com cerca de 25% e a zona Centro perto dos 20%.


- O número de estabelecimentos de pronto a comer manteve a sua tendência de crescimento a registar 4% em 2011, até alcançar os 1.225 restaurantes.

- As cinco maiores empresas do sector, por volume de negócio, reuniram uma quota de mercado conjunta de 7,6% em 2011. No mercado do pronto-a-comer a concentração é sensivelmente maior, sendo a sua quota de mercado de
40%.


Dados Gerais, 2011
Fonte: Estudo Sectores Portugal DBK: "Restaurantes"