quinta-feira, 21 de junho de 2012

Estudo DBK sobre estabelecimentos hoteleiros


Evolução do mercado

- O volume de negócios no sector hoteleiro elevou-se em 2011 a 1,9 mil milhões de euros, o que indica um crescimento de 5,6% face ao exercício anterior.

- A destacar o aumento do negócio na Madeira (+11,5%), Lisboa (+6,9%), o Algarve (+6,1%) e o Alentejo (+ 5%), assim como o retrocesso registado nos Açores (-4,1%). A instabilidade política em alguns países do norte de África repercurtiu-se positivamente na facturação sectorial, e em particular nos estabelecimentos costeiros dirigidos ao turismo de ócio estrangeiro.

- O número de hóspedes superou em 2011 os 14 milhões (+3,8€), enquanto as dormidas aumentaram para os 39,6 milhões (+5,9%), o que resultou numa média de 2,8 dormidas por hóspede. As dormidas de residentes em Portugal decresceram 1,9%, situando-se em 13,5 milhões, 34% do total. Pelo contrário, as da população estrangeira aumentaram 10,4%.


Estrutura da oferta

- A capacidade hoteleira em Portugal tem crescido significativamente na última década. O número de camas - incluindo hotéis, estalagens, apart-hotéis, motéis, pensões e pousadas - passou de 187.200 em 2002 para 231.400 em 2010, o que representam uma variação média anual de cerca de 3%. O número de estabelecimentos, pela sua parte, atingiu 1.790 em 2010, face a 1.645 em 2002.

- Do ponto de vista geográfico, a actividade concentra-se sobretudo na zona do Algarve, com 25% das camas, e Lisboa, com pouco mais de 20%.

- No Algarve localizam-se as unidades de maior dimensão: o número médio de camas por estabelecimento atingiu 218 em 2010, face à média de 129 camas para todo o território de Portugal.


Dados Gerais, 2011

(a) 2010 (b) corresponde a aldeamentos turísticos, apatamentos turísticos, estalagens, hotéis, hotéis-apartamentos, motéis, pensões e pousadas

Fonte: Estudos Sectores Portugal Basic DBK: "Estabelecimentos Hoteleiros"