quarta-feira, 14 de março de 2012

As remunerações dos corretores de seguros caíram em 2010 e 2011

Evolução do mercado


- As remunerações dos corretores de seguros experimentaram uma quebra de 3,6% em 2010, após o crescimento contabilizado no exercício na terior. Em 2011 manteve-se a tendência decrescente do volume de negócios, estimando-se uma variação negativa de 4,6%, até chegar aos 103 milhões de euros.

- O volume de prémios mediado pelos corretores reduziu 2,4% em 2010, cifrando-se em 814 milhões de euros. Perto de 90% deste valor (728 milhões de euros) corresponde aos seguros de não vida e o resto aos prémios de seguros de vida.

- Os corretores canalizaram nesse exercício 5% do volume total de prémios do mercado segurador, percentagem que nos últimos anos se tem mantido em baixa.

- Face ao decréscimo de participação no mercado dos corretores é significativo o crescimento da quota do canal bancário, que passou de 65,4% em 2009 para 67,9% em 2010; no ramo de seguros de não vida a sua penetração situou-se nos 13%.

Estrutura da oferta


- O número total de mediadores de seguros em Portugal registou uma contracção de cerca de 5% em 2010, contabilizando-se cerca de 25.900. Destaca-se o decréscimo de 8,5% do número de agentes singulares, que passou de 12.701 em 2009 para 11.617 em 2010.

- Em relação ao número de corretoras de seguros, em 2010 operavam no mercado 95, menos cinco que no ano anterior. A maior parte é de pequena dimensão: 70% conta com menos de 10 colaboradores e só 12% empregam mais de 30 pessoas.

- A quota de mercado conjunta dos cinco principais operadores situou-se nesse exercício em 43,1%, enquanto a participação do grupo dos dez primeiros - que integram as corretoras Villas-Boas ACP, Willis, Costa Duarte, AVS e Reinsurance Solutions, ascendeu a 63,9%.

Dados Gerais
Fonte: Estudo Sectores Portugal Basic DBK: “Corretores de Seguros”